sábado, 27 de fevereiro de 2010

Chuva de chumbo


"Eu não sei o que eu possa parecer para o mundo;
mas para mim eu pareço ter sido apenas como um garoto brincando na praia,
e me divertindo de vez em quando encontrando uma pedra arredondada ou uma
concha mais bonita que as comuns, enquanto o grande oceano da verdade repousa desconhecido perante mim."

( Isaac Newton )

Levei muito tempo para encontrar este filme. A razão é simples. Não conseguia lembrar o título. Também desconhecia o nome dos atores. A questão é: este realmente é um filme reminiscente. Ele estava guardado em minha memória há muito tempo. Quando assisti ao filme, ainda era um garoto. Então, as lembranças também o são. De um garoto. Chuva de chumbo. Não se trata de nenhuma obra prima do cinema. Talvez seja melhor eu jamais revê-lo. Ficarei assim, apenas com minhas lembranças. E nelas, eu adoro este filme.

video

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

Décimo primeiro contato...


NÃO POSSO NEGAR MINHA CURIOSIDADE A RESPEITO DO CONTEÚDO DAS CARTAS QUE LHE ENVIO. DESCONHEÇO O REMETENTE E DE VOCÊ CONHEÇO APENAS SEU NOME. CONTINUAREI SEGUINDO AS INSTRUÇÕES QUE ME FORAM DEIXADAS E LHE ENVIANDO AS TREZENTAS PALAVRAS PERIODICAMENTE.

...gostaria de falar agora. Desculpe utilizar palavra tão complicada. Idiossincrasias. Aprendi esta palavra em um filme. Você o assistirá em alguns anos. Nunca mais a esqueci. Nem poderia. A cena, com o diálogo, no filme na qual ela é pronunciada é inesquecível. Hoje em dia falta-me coragem para revê-la. Mas não adianta lhe falar sobre isso agora. Você precisará esperar alguns anos. Seja paciente.
São os momentos mais insignificantes de nossas vidas também os mais importantes. É contraditório dizê-lo. Ao serem insignificantes não poderiam ser os mais importantes. Não é bem assim. Tais momentos, ao acontecerem, acreditamos não possuírem significado algum. Não damos a devida importância. Eles nos fazem ser quem somos. É assim também com nossas coisas. Guardamos muitas delas, apenas pela recordação. Não precisamos esperar algo extraordinário acontecer. Estes momentos, explicam muito sobre você. Esclarecem ainda mais sobre quem sou. Não quero confundi-lo. As experiências vivenciadas até aqui também nos separam; fazem-nos pessoas totalmente diferentes. Claro, só poderia ser assim. Sei tudo sobre você e você não tem a menor idéia se me tornei o que sempre sonhou. Jamais saberá. Hoje, sei que devemos viver um dia de cada vez. Espero que jamais se esqueça.
As paredes do seu quarto; lembro quantas noites dormi olhando para aqueles desenhos. As medalhas guardadas em uma caixa de madeira; cada uma possui uma história. Seu personagem favorito; aprendeu muito com ele. Ainda hoje recorro aos seus ensinamentos. Os bolinhos de batata com carne que a vovó faz; muitas vezes, ela os faz especialmente para você. Nada pode ser mais especial. Nada pode ser mais significativo do que a própria vida que nos cerca. São as nossas idiossincrasias. Todo mundo possui lembranças assim. Todos nós somos, em nossa personalidade, influenciados por elas. São lembranças doces. Apenas lembranças. Daríamos tudo para poder revivê-las. Apenas mais uma vez.

COMO DE COSTUME, EM BREVE NOVO CONTATO E NOVA CARTA. AGUARDE. UM ABRAÇO.

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

A sobremesa roubou a cena...


"Acredito nas nossas castas, nas suas cores, nos seus aromas e sabores, por isso elegi-as como suporte dos meus vinhos. A minha aposta é desenhar vinhos exclusivamente com castas portuguesas, vinhos feitos com o que é nosso, aquilo de que todos nos orgulhamos".
(Paulo Laureano)


Em virtude de alguns problemas técnicos, demorei alguns dias para publicar o último encontro do Vinho nas quintas. Mas não poderia deixar de fazê-lo.Como Já falei em outra oportunidade, a cada semana os pratos e os vinhos estão mais elaborados. Nesta quinta não foi diferente. Os pratos estavam ótimos. Já falarei sobre eles. Mas, a surpresa da noite foi a sobremesa. Espetacular. Quem nunca teve a oportunidade de experimentar aconselho que o faça assim que possível. Enfim, vamos aos pratos. Para encerrar a noite um Montecristo nº 4 acompanhado de um bom cognac. Noite perfeita!

De entrada um ótimo peixe de água doce. Panga. Temperado e marinado por cinco horas com ervas. Acompanhou arroz branco e aspargos. Para harmonizar um excelente vinho branco da casta Sauvignon Blanc.

Como prato principal, uma suculenta paleta suína assada com batatas. Por sorte, o Claudio e a Roberta apareceram para ajudarem a saborearmos este prato pois, não daríamos conta de tanta comida.



Finalmente a sobremesa. Peras com doce de leite. Simples assim. Após ler estas reminiscências da última quinta-feira, vá correndo ao supermercado e compre algumas peras (vai querer mais de uma) e um bom doce de leite. Ficará impressionado com a explosão de sabores.



1) CASA LAPOSTOILLE

Branco – 2009
Produtor – Casa Lapostoille
País – Chile
Região – Maipo – Valle Central
Castas – Sauvignon Blanc 90% e Sémillon 10%
Graduação – 13,5 %
Degustação: Aromático e seco, com acidez equilibrada, ele foi escolhido como o "Vinho da Semana" por Jancis Robinson. A jornalista inglesa gostou tanto do vinho que relata "ter tomado a garrafa até a última gota".

2) PAULO LAUREANO CLASSICO

Tinto – 2006
Produtor – Paulo Laureano Vinus
País – Portugal
Região – Alentejo
Castas – Trincadeira e Aragonês
Graduação – 13,5 %
Degustação: A excelência dos melhores vinhos traduz-se na sua simplicidade. Identidade, elegância e notas de prazer de forma clara o Paulo Laureano Clássico. (nota no contra-rótulo que assino em baixo)


terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

O jeitinho brasileiro...


"O caráter pode se manifestar nos grandes momentos,
mas ele é formado nos pequenos".
(Phillips Brooks)


O Brasil é o país do jeitinho. Todos já ouviram esta frase. O problema começa ao tentamos entender o significado da palavra jeitinho. Não irei recorrer ao dicionário. Ainda não. Não é necessário. Tenho certeza: o jeitinho brasileiro não terá ali definição. Nem poderia. Na verdade a frase é utilizada quando a intenção é quebrar regras. Burlar, enganar, iludir blefar; até onde sei não são sinônimos de jeito. Pior ainda é saber que o tal jeitinho é compreendido, pelo menos em nosso país, como uma qualidade e não um desvio de comportamento. Não quero generalizar. Há sempre as exceções. Mas, as exceções não fazem a regra.
Ser malandro é ser esperto. Este não é um texto sobre etimologia, mas não consigo evitar. O dicionário define malandro como sendo alguém que procura viver à custa do trabalho alheio ou de atividades ilícitas. Com poucos escrúpulos, não demonstra vergonha ou recato e não gosta de trabalhar. Um patife, tratante, velhaco, vil, ocioso, preguiçoso, vadio, vagabundo... Então, devemos concluir: Esperteza e malandragem são coisas bem diferentes. Graças a Deus.
Mas, quem acredita no jeitinho brasileiro não está preocupado com o significado das palavras. O problema é cultural. De educação mesmo. Não adianta ensinarmos aos nossos filhos conceitos do certo e do errado quando nossas ações não são condizentes com o discurso proferido. De maneira geral, o brasileiro é ótimo em discursos. Mas, colocá-los em prática é outra coisa.
Um dia destes, recebi um e-mail ótimo. Educação. O texto era anunciado como sendo de João Ubaldo Ribeiro. Começava dizendo: "Precisa-se de Matéria Prima para construir um País". E seguia descrevendo como o povo brasileiro gosta de levar vantagem em tudo e que o Brasil é “um país onde ficar rico da noite para o dia é uma virtude mais apreciada do que formar uma família, baseada em valores e respeito aos demais.” O texto, colocava o dedo na ferida do povo brasileiro. Apontava seus defeitos. Muitas verdades estavam escritas ali. Claro, logo pensei em transcrevê-lo aqui no blog. Fui então pesquisar o texto. Acreditem, descobri que o texto não é do João Ubaldo. Muito pelo contrário. Na internet, ele mostrava-se bastante chateado por seu nome estar sendo utilizado desta maneira. Não sei o autor do texto. Agora, nem quero saber.
Quem escreveu o texto se esqueceu de acrescentar: Pertenço a um país onde alguém escreve um texto em nome de um autor famoso apenas para facilitar sua veiculação. O autor deu um jeitinho de facilitar a divulgação. Um jeitinho brasileiro.

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Caos...


"O futuro sempre está começando agora."
(Mark Strand)

Não sei como é em outras cidades do país. Mas, aqui em São Paulo, tenho a impressão que ao olhar no retrovisor do carro, vejo cada vez mais motos. Antigamente, ficavam restritas em uma das faixas. Agora, parecem estar por todos os lados. Não sei em qual cidade foram gravadas as imagens do vídeo abaixo. Mas não irá demorar muito e por aqui será da mesma maneira.

video

domingo, 21 de fevereiro de 2010

Ponto de vista...


"Ninguém no mundo pode tomar o lugar da sua mãe.

Certo ou errado, do ponto de vista dela você está sempre certo.

Ela pode repreendê-lo nas pequenas coisas, mas nunca nas grandes."

( Harry Truman )


A diferença entre ser sogra do genro e sogra da nora

Duas distintas senhoras encontram-se após um bom tempo sem se verem.
Uma pergunta à outra:
- Como vão seus dois filhos... a Lúcia e o Francisco?
- Ah! Querida... a Lúcia casou-se muito bem. Tem um marido maravilhoso. É ele que levanta de madrugada para trocar as fraldas do meu netinho, faz o café da manhã, lava as louças e ajuda na faxina. Só depois é que sai para trabalhar. Um amor de genro! Deus que o abençoe!
- Que bom, amiga, e o Francisco? Casou também?
- Casou sim, querida, mas coitadinho dele; deu azar demais. Casou-se muito mal... Imagina que ele tem que levantar de madrugada para trocar as fraldas do meu netinho, fazer o café da manhã, lavar a louça e ainda tem que ajudar na faxina! E depois de tudo isso ainda sai para trabalhar, para sustentar a preguiçosa da minha nora, aquela porca!...

sábado, 20 de fevereiro de 2010

A evolução na educação...


"O importante da educação
não é apenas formar um mercado de trabalho,
mas formar uma nação, com gente capaz de pensar".

(José Arthur Giannotti)



Recebi este e-mail. Trata-se da evolução da educação. Achei muito apropriado e resolvi dividir a história com os amigos destas reminiscências.
Antigamente se ensinava e cobrava tabuada, caligrafia, redação, datilografia. Tínhamos aulas de Educação Física, Moral e Cívica, Práticas Agrícolas, Práticas Industriais e cantava-se o Hino Nacional, hasteando a Bandeira Nacional antes de iniciar as aulas..

Leiam relato de uma Professora de Matemática:

Semana passada comprei um produto que custou R$15,80. Dei à balconista R$ 20,00 e peguei na minha bolsa 80 centavos, para evitar receber ainda mais moedas. A balconista pegou o dinheiro e ficou olhando para a máquina registradora, aparentemente sem saber o que fazer. Tentei explicar que ela tinha que me dar 5,00 reais de troco, mas ela não se convenceu e chamou o gerente para ajudá-la. Ficou com lágrimas nos olhos enquanto o gerente tentava explicar e ela aparentemente continuava sem entender. Por que estou contando isso?

Porque me dei conta da evolução do ensino de matemática desde 1950, que foi assim:

1. Ensino de matemática em 1950:
Um lenhador vende um carro de lenha por R$ 100,00. O custo de produção é igual a 4/ 5 do preço de venda . Qual é o lucro?

2. Ensino de matemática em 1970:
Um lenhador vende um carro de lenha por R$ 100,00. O custo de produção é igual a 4/5 do preço de venda ou R$80,00. Qual é o lucro?

3. Ensino de matemática em 1980:
Um lenhador vende um carro de lenha por R$ 100,00. O custo de produção é R$80,00. Qual é o lucro?

4. Ensino de matemática em 1990:
Um lenhador vende um carro de lenha por R$ 100,00. O custo de produção é R$80,00. Escolha a resposta certa, que indica o lucro:
( )R$ 20,00 ( )R$40,00 ( )R$60,00 ( )R$80,00 ( )R$100,00

5. Ensino de matemática em 2000:
Um lenhador vende um carro de lenha por R$ 100,00. O custo de produção é R$80,00. O lucro é de R$ 20,00.
Está certo?
( )SIM ( ) NÃO

6. Ensino de matemática em 2009:
Um lenhador vende um carro de lenha por R$100,00. O custo de produção é R$ 80,00.Se você souber ler coloque um X no R$ 20,00.
( )R$ 20,00 ( )R$40,00 ( )R$60,00 ( )R$80,00 ( )R$100,00

7. Em 2010 vai ser assim:
Um lenhador vende um carro de lenha por R$100,00. O custo de produção é R$ 80,00. Se você souber ler coloque um X no R$ 20,00. (Se você é afro descendente, especial, indígena ou de qualquer outra minoria social não precisa responder)
( )R$ 20,00 ( )R$40,00 ( )R$60,00 ( )R$80,00 ( )R$100,00

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

Aspas reminiscentes...


"Preocupe-se mais com seu caráter
do que com sua reputação. Caráter é aquilo
que você é, reputação é apenas o que os
outros pensam que você é."
( John Wooden )

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

Bastardos Inglórios


"Tarantino é mesmo inconsequente - mas enquanto tiver seu público cativo, formado
por gente como ele, seguirá em seu mundinho.
Eu, pelo menos, agradeço".
(Érico Borgo)



Quentin Tarantino é realmente diferente. Claro, como tudo que é diferente provoca as mais diferentes reações. No filme, Bastardos Inglórios, o diretor pegou um fato histórico; a segunda guerra mundial e mudou tudo. Colocou os nazistas contra a parede. No cinema tudo é possível. Para Tarantino tudo é possível. O filme é genial. Pensando em como deveria escrever a crítica sobre o filme, fui consultar o site Omelete. Em minha opinião um dos melhores tratando-se de cinema. O texto de Érico Borgo é perfeito. Brilhante. Então, ficarei com as palavras de Borgo. Recomendo a leitura da crítica e mais ainda: assistam ao filme.

Leiam a crítica completa de Érico Borgo no site Omelete clicando aqui.

video

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

Cindy Lauper, 1989


Não à toa, este blog recebeu o nome de Reminiscências. Os lugares em que estive; as coisas que vi e as pessoas que comigo estiveram, ficaram e estarão sempre de maneira muito especial, retidas em minha memória. Não tenho certeza se conseguirei manifestar meus sentimentos através de palavras. Muitas vezes não. Mas é possível, ao menos, exibir alguns destes momentos. É o que acontecerá em Reminiscências de quem estava lá. Espero que também tenham a oportunidade de reviver algumas lembranças adormecidas...
...............................................

"Um homem sem
lembranças é um homem perdido."

( Armand Salacrou )


Ibirapuera, São Paulo, 1989. Na década de 80, As músicas de Cindy Lauper estavam sempre presentes. No rádio, em filmes ou mesmo na televisão. Lembro das duas pessoas que estavam ao meu lado durante o show. Mais de vinte anos se passaram e elas continuam aqui; ao meu lado. Estarão sempre. De uma maneira ou de outra. Vendo o vídeo do show, muitos sentimentos são trazidos à lembrança. São minhas reminiscências...

video

terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

Rotinas...


"Não há nada de tão absurdo
que o hábito não torne aceitável".
(Erasmo de Rotterdam)


Talvez o hábito torne aceitável. Mas não deixa de ser absurdo. A foto abaixo é da Estação Sé do metrô em São Paulo. Ao observamos a foto por alguns segundos, acabaremos concordando com a frase acima. O hábito realmente torna aceitável. Ou não?

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2010

Nove semanas e meia...

Alinhar ao centro
"O jovem tem todos os defeitos do
adulto e mais um:
o da imaturidade. "
(Nelson Rodrigues)

Mais uma cena reminiscente. Nove semana e meia de amor. O filme não foi nenhum sucesso de crítica. Muito pelo contrário. Mas gostaria de explicar que, quando assisti ao filme tinha catorze anos. O que pode explicar muita coisa. O filme e a cena foram de grande sucesso e utilidade entre muitos garotos da época. A cena? Bom, reveja você mesmo. Ou, se for um daqueles que detestaram o filme, deixem para lá...

video

domingo, 14 de fevereiro de 2010

Décimo contato...


DESTA VEZ, COM ALGUMA DIFICULDADE, ESTOU LHE ENVIANDO A CARTA DE NÚMERO DEZ. ESPERO ENCONTRAR MAIS FACILIDADE DA PRÓXIMA VEZ.

Falta o chapéu e poderá entrar para o bando. Pode parar. Não fique aí parado, em dúvida, olhando para os dedos. Vamos, siga logo meu conselho. Guarde-os em uma caixinha se assim preferir. Falando em ridículo, escolheu 1986 para ganhar todos os prêmios. Parabéns bobão. Desculpe, ao recordar de algumas coisas não consigo controlar minha irritação. Não vamos perder tempo. Pegue, na carteira, seu RG. Tentarei não comentar sobre esta carteira da OP (Ocean Pacífic) que você anda usando. Confesso que está difícil manter o controle. Você acabou de tirar o RG não é mesmo? Agora, olhe bem para ele e veja sua foto. Eu sei. Sentiu um calafrio? Eu ainda sinto. É horrível. Difícil acreditar que seja mesmo você. Em 2010, ainda uso este mesmo RG. Mesmo depois de tantos anos. Não estou brincando. Você ficou com preguiça de tirar outra fotografia, lembra-se? Você nunca fez outro. Sei que prometi não fazer revelações a respeito do futuro. Fiz uma agora. Apenas esta. Acredite; se você não resolver este problema, ficaremos com ele para sempre. Por enquanto é melhor deixarmos suas sandices e manias burlescas para depois. Não pense que acabou. Ainda não terminei. Em outra oportunidade retomamos.
Não fique magoado. Ficou? Dane-se. Azar o seu. Não tenho tempo para mimos idiotas. Como já falei, são fantasmas que precisamos exorcizar. O mundo vai mudar muito rápido. Você precisará estar preparado. Acredite. Devemos aproveitar cada bom momento. Muitos deles somente se tornam importantes depois de algum tempo. Quando o vivenciamos não temos consciência de sua importância. São apenas fatos banais em nosso dia a dia. Assim, acabamos passando por eles sem aproveitá-los. Então, um dia nos damos conta que estes momentos já fazem parte do passado. Poderemos apenas revivê-los em nossas lembranças. São as nossas idiossincrasias. É sobre elas que gostaria de falar agora.

AGUARDE PRÓXIMO CONTATO. UM ABRAÇO DE SEU AMIGO DISTANTE.

sábado, 13 de fevereiro de 2010

Nossa Língua Portuguesa


Com esta história de nova ortografia da língua portuguesa, é natural alguma dúvidas surgirem. É até óbvio. Querendo saber sobre as novas regras para o emprego do hífen na palavra dia a dia, fui consultar a internet. Encontrei um ótimo site sobre gramática. Chama-se Gramática on Line do Prof. Dílson Catarino. Já ouviram falar? Não? Muito esclarecedor. O texto elucidativo dizia o seguinte:

“Emprega-se o hífen nas palavras compostas por justaposição cujos elementos constituem uma unidade sintagmática e semântica e mantêm acento próprio, podendo-se dar o caso do primeiro elemento estar reduzido. Constituir uma unidade sintagmática significa pertencer a uma classe gramatical (substantivo, adjetivo, pronome, verbo, advérbio...) e semântica, ter um significado, ou seja, os elementos que formam a palavra composta são palavras existentes na Língua Portuguesa, a não ser os elementos reduzidos.”

Minha nossa! Preciso fazer mais algum comentário? Encontrei também um vídeo com uma aula do Prof. Dílson. Pois é, fiquei curioso. São apenas dois minutinhos. Assistam e vejam a empolgação da classe...

video

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

Lula e o Presidente da Suiça


"Em toda e qualquer cultura, imaginamos o
Universo governado por algo parecido com nosso próprio sistema político.
Poucos acham a similaridade suspeita".
(Carl Sagan)


Para o governante de uma nação é essencial o conhecimento de diferentes culturas. É importante conhecer aspectos sociais, políticos e geográficos. Tudo é importante para o líder de milhões. A Suíça, por exemplo, é importante saber que originou da tribo dos Helvécios que, obrigados a recuar pelo Exército de Júlio Cesar durante a batalha de Bribacte, acabaram se estabelecendo e originando assim importante país. Geograficamente a Suíça não é banhada pelo mar. Informação vital, que não escapou do conhecimento do atual governante supremo brasileiro que, elevado ao poder das camadas mais proletárias da nossa sociedade, vive em constantes viagens pelo bem da pátria. Enfim!

Em uma destas viagens, reuniu-se com o Presidente da Suíça, Durante a reunião, Lula apresenta os seus Ministros:

- Este é o Ministro da Saúde, este é o Ministro da Educação, este é o Ministro da Cultura, este é o Ministro da Justiça....

E assim foi.

Chegou a vez do Presidente da Suíça: - Este é o Ministro da Saúde, este é o Ministro da Fazenda, este é o Ministro da Justiça, este é o Ministro da Educação, este é o Ministro da Marinha...

Nessa altura, Lula não agüentou e começa a rir.

- Desculpe companheiro Sr. Presidente, mas para que o senhor tem um Ministro da Marinha, se o seu país não tem mar?

E o Presidente da Suíça responde:

- Quando Vossa Excelência apresentou os Ministros da Justiça, da Educação e da Saúde, eu não ri.

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

Novo sistema eleitoral


"Restaurar a democracia é restaurar a República.
É edificar a Nova República, missão que estou recebendo do povo
e se transformará em realidade pela força não apenas de um político,
mas de todos os cidadãos brasileiros." (Tancredo Neves)



Em 1983 Tancredo Neves foi um dos líderes das diretas já. Infelizmente, ou não, não viveu para ver no que se transformou sua luta pela democracia. Dizem que o Brasil é o país do jeitinho. Deve ser mesmo. Os políticos, após alguns anos, encontraram um jeitinho. Uma eleição atrás da outra e pouca coisa muda. Nada muda. Alianças e conchavos são feitos sem que tomemos conhecimentos. Esquerda, direito e centro parecem estar sempre na mesma direção. Escolher um candidato político não é fácil. Não é possível confiar neles. Alguém acredita no que nos dizem nas campanhas eleitorais? Claro que não. Alguém assiste ao horário eleitoral? Há quem veja. Mas a verdade é que ele não serve de parâmetro para conhecermos os candidatos. Há os debates. Mas com todos os assessores e marqueteiros que cercam uma candidatura, também é difícil vermos os políticos como eles devem ser na realidade. Não queria conhecer apenas a personagem. E sim o homem por trás da máscara.
A Rita Lee, que dispensa apresentações, deu uma brilhante idéia. George Orwell escreveu o livro 1984. Poucos conhecem. No romance, Orwell criou um personagem fictício denominado Big Brother. Todos conhecem. Gostem ou não. Para Rita Lee, o “Reality Show” não tem utilidade nenhuma. Serve apenas como entretenimento, o que já é questionável. A idéia sensacional dela é pegarmos todos os candidatos à Presidência da República e trancá-los em uma casa. Passariam os dias discutindo e debatendo seus programas de governo. “Sem marqueteiros, sem assessores, sem máscaras e sem discursos ensaiados. Toda semana o público vota e um candidato é eliminado. Ao final do programa o vencedor seria eleito ao cargo máximo do país. Além de acabar com o enfadonho e repetitivo horário político, a população conheceria o verdadeiro caráter dos candidatos.” Espetacular. Vou assinar por 24 horas.

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

Aspas Reminiscentes...


"Nada no mundo consegue tomar o lugar da persistência.
O talento não consegue; nada é mais comum que homens fracassados com talento. A genialidade não consegue;
gênios não recompensados é quase um provérbio.
A educação não consegue; o mundo é cheio de errantes
educados. A persistência e determinação sozinhas são onipotentes".

(Calvin Coolidge)


terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

Quatro passos atrás...


"A minha consciência tem para mim
mais peso do que a opinião do mundo inteiro".
(Cícero)


Fugir. Fingir que nada acontece é sempre o caminho mais fácil. Nem sempre temos esta opção. Às vezes, não temos nenhuma. Dizem que o homem tem o livre arbítrio. Verdade. Somos responsáveis pelos nossos atos. Também seremos pelas consequências. Pode-se fugir dos fatos, mas não de nossa consciência. Culpar a falta de coragem, somente é possível quando temos uma segunda alternativa. Uma forma mais fácil de encarar as dificuldades. Fugir é a maneira menos dolorosa. Mais fácil. Dizer que nos falta coragem também. Quando não temos outra alternativa, encontramos a coragem necessária. Somos suficientemente fortes.
Ninguém precisa ser alertado. Não é preciso aviso. Ninguém precisa nos mostrar o caminho. Podem segurar a nossa mão. Podem caminhar ao nosso lado. Mas a iniciativa deverá ser nossa. De mais ninguém. O remorso também será. Ninguém poderá ajudar. Depois, só restará lamentar. Fingir que fizemos o que era possível. Não foi nossa culpa. Claro que não. O que é culpa?
Talvez seja assim, como afirmou Cícero. O que importa é a nossa consciência. Infelizmente nem sempre somos conscientes. Então, erramos. Errar talvez seja a única maneira de aprender. E para aprender, sofremos. No final, todos nós temos nossas culpas. Felizes aqueles que conseguem conviver com elas. O ser humano é assim. Sempre foi.
Em Todos os nomes, Saramago escreveu “que as vidas são como os quadros, precisaremos sempre de olhá-las quatro passos atrás, mesmo se um dia chegarmos a tocar-lhes a pele, a sentir-lhes o cheiro, a provar-lhes o gosto”. Quanta sabedoria em uma frase apenas. Nem sempre recuamos quatro passos. Ou apenas um. Já ajudaria. Para recuarmos precisamos admitir certa dúvida. Não estarmos convencidos. Um receio. Dificilmente assumimos não termos confiança. Nem todos são capazes. Somos egocêntricos. Então, egoístas. Alguns o são. Não são todos. Muitos já aprenderam, recuaram um pouco e agora podem ver melhor. Recuar estes passos não foi fácil. Foi preciso coragem.

domingo, 7 de fevereiro de 2010

Número errado!


"Os combates codificados entre vertebrados
são um belo exemplo de comportamento análogo à moral humana.
Toda a organização desses combates parece ter por finalidade a função
mais importante da luta entre rivais, ou seja, estabelecer quem
é o mais forte sem prejudicar demasiadamente
o mais fraco".
( Konrad Lorenz )

A mente humana é prodigiosa. É capaz de criações extraordinárias. A origem de tanta imaginação? Esta é a grande pergunta. Será que formulamos hipóteses baseados em nossos medos? Ou será que elas são formuladas a partir do conhecimento intrínseco à nossa cultura? Não sei. Não tenho a menor idéia. Amigo reminiscente se pretende encontrar nestas linhas respostas para inquietantes perguntas, vou decepcioná-lo. Lamento. Mas, se servir de consolo não vou deixá-lo completamente no escuro. Há uma luz ao final do túnel. Porém, uma luz ao final do túnel pode ser um trem vindo ao contrário. Descubra por si mesmo. Como ajuda, encontrei um vídeo. Mais um. Talvez ele possa ajudar. Ou não. O fato é que a frase de Konrad Lorenz, a princípio, pode parecer um tanto quanto rebuscada a uma primeira leitura. Assistam ao vídeo e então releiam a frase. Tudo ficará claro.

video

sábado, 6 de fevereiro de 2010

Fraldinha recheada...


"Se um dia sentir um enorme vazio dentro de você,
vá comer! Pode ser fome. "

( Autor Desconhecido )

As quintas-feiras nunca são iguais. Ou talvez sejam. A verdade é que apesar de a cada semana algo diferente ser preparado, o resultado final é sempre o mesmo. Uma noite agradável com boa comida e bons vinhos. Há semanas em que a noite é elaborada com muita antecedência. Os vinhos escolhidos para harmonizar perfeitamente com o prato a ser servido. Esta quinta não foi assim. O único planejamento foi o fato de ser quinta-feira. A entrada, harmonizada com um bom chardonnay, foram ótimos bolinhos de bacalhau e um queijo de vinho. Sim, de vinho mesmo. Não pergunte. Coisa da Pipoka, esposa do Reinaldo. Em seu blog (Mesa do escritor) ela explica sobre a origem e claro, o que é o tal queijo.

Enquanto saboreávamos a entrada, o Reinaldo resolveu bolar o prato principal. Em menos de dez minutos já estava no forno. Fraldinha recheada com calabresa defumada e bacon e batatas assadas. Para harmonizar, um cabernet sauvignon / carmenere chileno.

Para terminar sorvetes de passas ao rum e o bom café italiano. Agora é só esperar a próxima quinta.



FICHA TÉCNICA

1) CONSIÑO MACUL

Branco - 2006
Produtor – Consiño Macul
País – Chile
Região – Maipo – Valle Central
Castas - Merlot
Graduação – 13%
Degustação – Amarelo dourado, aromas frutas tropicais de abacaxi e damasco com notas de mel e baunilha. Na boca apresentou média acidez e muita fruta como um bom novo mundo. Um vinho simples, porém bastante agradável.

2) CASA SILVA

Tinto - 2007
Produtor – Casa Silva
País – Chile
Região – Valle Colchagua
Castas - Cabernet sauvignon / carmenere
Graduação – 13,5%
Degustação. Cor rubi intensa, aromas de cereja negra e tostado. Na boca é frutado e encorpado.


Sidarta


A idéia veio de uma mania minha. Quem me conhece sabe que não apenas sou um leitor inveterado como também possuo muitos livros. Invariavelmente tenho como costume abrir um livro em uma página qualquer e ler o seu conteúdo. Não me pergunte a razão. Não existe nenhuma. Por motivos óbvios, adotarei sempre a página 72 de qualquer livro para transcrever seu conteúdo aqui no blog.. Talvez a idéia não seja das melhores, mas vamos ver para onde ela nos levará. Não escolherei o conteúdo. Pegarei um livro e abrirei na página 72. Simples assim. Vejamos o que acontece.

Do livro: Sidarta de Hermann Hesse

“Como se tornara plano e desinteressante o caminho que trilhava, fazia muitos anos, sem perseguir nenhum objetivo grandioso, sem sede nem exaltação, saturado e, todavia, insaciável! Durante todos esses anos, inconscientemente se esforçara, ansiara por ser uma criatura igual às demais, igual àqueles tolos e, apesar disso, levara uma vida muito mais triste, muito mais pobre do que eles,, que tinham propósitos e preocupações diferentes. Todo aquele mundo dos Kamasvamis afigurava-se-lhe como um mero brinquedo, num bailado que se contempla, uma comédia. Somente Kamala lhe fora cara, só ela possuía valor... (p. 72)

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

Sonhos...


“Uma cena que parece pintura não faz uma pintura.
Olhando com atenção verá que toda natureza tem a sua beleza.
E quando há essa beleza natural, eu simplesmente me perco nela.
Então, como num sonho, a cena se pinta sozinha para mim”.
(do filme Sonhos de Akira Kurosawa)



Sonhos. De Akira Kurosawa. Poucas pessoas possuem paciência para entender o mestre Kurosawa. Talvez seja apenas uma questão de gosto. A cena, aqui reproduzida, é o final do filme. Os sonhos, apresentados no filme, são baseados nos sonhos verdadeiros do diretor japonês. Fico pensando. Seria bom poder reproduzir nossos sonhos. Kurosawa o fez. Sonhou duas vezes. O filme é brilhante. Mas nem todos gostarão. Que pena. Esta é a cena, do filme, que me é reminiscente...

video

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

Nono contato...


CARO EMERSON, DESCULPE A DEMORA. ALGUNS PROBLEMAS AINDA NÃO FORAM RESOLVIDOS POR AQUI. SERIA DIFÍCIL PARA VOCÊ COMPREENDER. O IMPORTANTE É VOCÊ CONTINUAR RECEBENDO ESTAS PÁGINAS E EU CUMPRIR A PROMESSA QUE FIZ DE FAZÊ-LAS CHEGAR ATÉ VOCÊ.

Não poderia ser diferente. Fico imaginado se meu tempo não está sendo perdido e estas palavras jamais chegarão até você. Não importa. Continuarei. Podemos tirar tudo de uma pessoa. Podemos tirar seus bens, seu emprego, as pessoas que ama. Podemos tirar-lhes o sorriso do rosto e podemos tirar até mesmo seus sonhos. Mas não podemos tirar-lhes a esperança. Dale Carnegie disse que "A maior parte das coisas importantes no mundo foram realizadas por pessoas que continuaram tentando quando parecia não haver esperança de modo algum". Sempre há esperança. Lembre-se sempre.
Já estou falando coisas sem sentido novamente. Desculpe. É um hábito que, com o tempo, acabei adquirindo. Vamos tentar falar de algo que possa lhe ser útil de alguma maneira. Sei o quanto você é “cabeça dura”. Calma, não é uma ofensa. Apenas uma constatação. Ademais, se há alguém que pode escancarar seus defeitos, sou eu esta pessoa. Mas fique tranquilo, eles ficarão apenas entre nós. Vou lhe dar um conselho para seu próprio bem. Ou melhor, para o nosso. Tire, agora mesmo, todos estes anéis dos dedos. Vamos, não questione. Apenas faça. Está bem, fique com um se quiser. Mas apenas um. E se quer meu conselho, fique com este do anelar da mão esquerda. Tanto faz. Escolha você. Sou capaz, ainda hoje, de compreender suas razões. Há um pouco de rebeldia em relação à moda da época. O estilo roqueiro eu posso entender e até concordar. As calças rasgadas vou lhe confidenciar, são um sucesso nos dias de hoje, imagine você. O cabelo comprido, hoje eu abomino, mas vá lá. Pensei em enviar-lhe uma foto. Desisti da idéia por desconhecer as conseqüências que meu ato poderia causar. Agora, por favor, andar com um anel em cada dedo já é demais. Sabe o Lampião? Ele mesmo, o rei do cangaço. Falta o chapéu...


AGUARDE A PRÓXIMA CARTA. UM ABRAÇO. DESTE AMIGO DISTANTE.