sábado, 14 de agosto de 2010

Tarde demais...


"Porque o tempo é tão implacável,
roubando-nos as oportunidades se não formos suficientemente
rápidos para agarrá-las imediatamente?”
(Liv Ullmann)


T. E. Lawrence, em seu livro Os sete pilares da sabedoria, disse que para alguns homens nada está escrito a menos que eles escrevam. Um dia acreditei nisso. Tempo. Novamente. Do contrário, alguém me convença. Não controlamos nada. Esperar pelo tempo é achar que temos o controle. Não temos. Perdemos. Constantemente, escrevo que briguei com o tempo. Parece bobagem. Parece capricho. Batalha perdida. Para ganhar, o mundo precisaria lutar ao meu lado. Pelo menos o meu mundo. A dificuldade: entender minhas razões. Os motivos: todos conhecem.
Um grande amigo um dia me disse: “achei que teríamos tempo... que teríamos outra chance. Não tivemos”. Ele me entende. Acho que é o único. Minha batalha começa quando recuso deixar passar uma oportunidade. Quando não quero dar ao tempo a capacidade de decidir. Decidir se terei ou não outra chance. Hoje, sou assim, simplesmente por não ter mais medo. Ou ainda ter muito medo. André Gide, escritor francês, acreditava que “era um dever ser feliz”. Para Gide, "Para se descobrir novas terras, deve-se estar disposto a perder a terra de vista por um longo tempo." É preciso coragem. É preciso querer. E se soubesse ser aquela a única oportunidade?
Encerro com Mário Quintana, poeta e jornalista brasileiro. Talvez seja quem melhor entendeu e explicou a relação com o tempo.

“A vida é o dever que nós trouxemos para fazer em casa.

Quando se vê, já são seis horas!
Quando de vê, já é sexta-feira!
Quando se vê, já é natal...
Quando se vê, já terminou o ano...
Quando se vê perdemos o amor da nossa vida.
Quando se vê passaram 50 anos!
Agora é tarde demais para ser reprovado...
Se me fosse dado um dia, outra oportunidade, eu nem olhava o relógio.
Seguiria sempre em frente e iria jogando pelo caminho a casca dourada e inútil das horas...
Seguraria o amor que está a minha frente e diria que eu o amo...
E tem mais: não deixe de fazer algo de que gosta devido à falta de tempo.
Não deixe de ter pessoas ao seu lado por puro medo de ser feliz.
A única falta que terá será a desse tempo que, infelizmente, nunca mais voltará.


8 comentários:

Christiane Batista disse...

Se me fosse dado um dia, outra oportunidade, eu nem olhava o relógio... com certeza.

Christiane Batista disse...

... em minha última oportunidade o que me fez ir embora antes foi o relógio.

Anônimo disse...

"Para se descobrir novas terras, deve-se estar disposto a perder a terra de vista por um longo tempo (MAS AI VEM O MEDO...O MEDO)." É preciso coragem (CORAGEM TEM, MAS...). É preciso querer (QUERER? COMO QUERO...E QUERO MUITO). E se soubesse ser aquela a única oportunidade? (NÃO ACREDITO QUE PERDI MAIS UMA VEZ :...(

Anônimo disse...

E cada vez mais aquela sábia frase se confirma verdadeira: Viva intensamente cada momento da vida como se fosse o seu último.
Best.

Vanessa Taconelli disse...

Tarde demais quando perdemos...mas e para ganhar ??? Como dizem: tarde é melhor do que nunca...
Então...viva la vida !!!
Todos merecem e isso inclui você !!!
Beijos,
Borboleta !

Anônimo disse...

Li exatamente como pediu: desarmada, trazendo o conteúdo para nossa realidade. Não pudemos controlar, não tem volta. Não foi calculado. Então, que parem os relógios. Até às 6 horas tem bastante tempo, quando a sexta-feira chegar vamos aprovietá-la,Natal, que delícia...50 anos se passaram, ainda estaremos juntos. Você tem alguma dúvida? Só não se esqueça de me segurar firme e cumprir o que Mário Quintana sugeriu. Ouvi ontem, ouvi hoje, mas quero ouvir sempre. Não me canso é não tem hora pra ser dito. Falamos o tempo todo porque sentimos vontade. Porque tivemos coragem de assumir o que sentimos.

pattyrochaz disse...

Hoje você faz o seu tempo!!
Aproveite o agora e não pense no se....
Te adoramos!!!

Anônimo disse...

Dikos
Não posso conter minha curiosidade em saber quem é o tempo...
Por favor me fale! : )
bjos

Pipoka