domingo, 26 de dezembro de 2010

Breve romance de sonho

“(...) falavam das regiões secretas pelas quais pouco ou nada ansiavam e para onde, não obstante, o incompreensível vento do destino poderia, ainda que apenas em sonho, arrastá-los. Afinal, por mais que pertencessem um ao outro no que sentiam e pensavam, sabiam que, não pela primeira vez, um hálito de aventura, liberdade e perigo os tocara na noite anterior, temerosos, atormentando-se em curiosidade silente, buscavam arrancar confissões um do outro, e, aproximando-se amedrontados, procuravam em si próprios por algum fato, indiferente que fosse, por alguma experiência, ainda que sem importância, que pudesse dar expressão ao inexprimível, e cuja sincera confissão por ventura os libertasse de uma tensão e uma desconfiança que, pouco a pouco, começava a fazer-se insuportável (...)”

Sempre estranhei o fato das pessoas, em sua maioria, se interessarem apenas pelos lançamentos de livros. Desta maneira, muitos livros acabam esquecidos. Breve romance de sonho foi escrito pelo austríaco Arthur Schnitzler em 1926. Poderia estar ultrapassado. Não está. Ao contrário; parece-me, ainda hoje, mais atual. O livro, como poucos, escancara e abala os alicerces e estruturas da vida conjulgal e familiar de um casal. Fridolin e Albertine. Foi na obra prima de Schnitzler que o cineasta Stanley Kubrick baseou-se para criar seu último filme: De olhos bem fechados, com Tom Cruise e Nicole Kidman.

10 comentários:

Anônimo disse...

É incrível como podemos nos surpreender com as pessoas. Mais incrível ainda é a surpresa de um sentimento inesperado, que abala princípios antes considerados corretos.
Sentimento correspondido?
Com certeza não! Apenas mais uma lição que a vida nos deixa...

Vanessa Taconelli disse...

Uau, não li o livro...mas vi o filme...estou arrepiada !!!
Intenso...

Anônimo disse...

Ainda bem que apesar do sentimento inesperado
a pessoa sabe que NAO e correspondida. Então,
para que não restem duvidas, e bom que o mundo
saiba que nossa história não será breve, nao e um sonho
mas, sim, um romance perfeito. Ainda anônima!

Anônimo disse...

Dikos,
To achando que precisamos conversar logo mais...acho que estou um tanto desatualizada??? rsrs
Pipoka : )

Anônimo disse...

Pelo jeito você tem uma admiradora secreta. O negocio está ficando sério hahaha
Mas o texto postado é muito bom, como de costume. Assistirei esse filme e tentarei ler este livro hahaha
Beijos Best.

Anônimo disse...

Uauuuu ai simm.
Na torcida ;-) huahuahua

pattyrochaz disse...

HAHAHAHAHAHA...........
Só rindo!!!!!

Anônimo disse...

Pertencemos um ao outro no que pensamos.
Pertencemos um ao outro no que vivemos. Poucos
sabem disso. Alguns torcem, outros nem tanto.
Não estamos preocupados em tornar publico. Mas
em viver o que há pra viver.
Dikos, Best, Me etc...tantos codinomes para uma ANONIMA. Do que importa um nome? Vc faz questão?
Vamos em frente. Você sabe onde me encontrar.
Muitos beijos. Esse será nosso ano.
Acho que esse blog vai pegar fogo. Sigo me divertindo.

Anônimo disse...

Dikos tenho um palpite fortíssimo...acertei?
: )

Anônimo disse...

sr. Emerson Batista, ganha dinheiro com isso, faça um bolãoooo...huahuahua