sábado, 26 de fevereiro de 2011

Watchman - Abertura do filme


Sempre gostei de aberturas. Em um filme, acredito serem fundamentais. Logo de cara, apresentam-nos a medida do filme. Preparam o clima. Ao assistir um filme com uma abertura bem elaborada a expectativa criada sempre é maior. A ideia, então, é mostrar as aberturas que me são reminiscentes...

---------------

“Por onde quer que andem e admitam que as águas à sua volta aumentaram. E aceitem que logo estarão cobertos até os ossos. Se seu tempo para você vale a pena ser salvo, então é melhor começar a nadar ou irá se afundar como uma pedra pois os tempos estão mudando”
(da música The Times They Are A-Changin de Bob Dylan)

Fiquei na dúvida. Qual abertura escolher primeiro? Não vou dizer que é aquela que mais gosto. Não tenho uma preferida. Algumas são espetaculares. Outras; gosto por razões muito particulares. Escolhi a primeira opção. O filme: Watchman. A abertura tem como trilha a música do bob Dylan “The Times They Are A-Changin (Os tempos estão mudando)”.


video

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

A queda... de Albert Camus


A idéia veio de uma mania minha. Quem me conhece sabe que não apenas sou um leitor inveterado como também possuo muitos livros. Invariavelmente tenho como costume abrir um livro em uma página qualquer e ler o seu conteúdo. Não me pergunte a razão. Não existe nenhuma. Por motivos óbvios, adotarei sempre a página 72 de qualquer livro para transcrever seu conteúdo aqui no blog.. Talvez a idéia não seja das melhores, mas vamos ver para onde ela nos levará. Não escolherei o conteúdo. Pegarei um livro e abrirei na página 72. Simples assim. Vejamos o que acontece.

Do livro: A queda... de Albert Camus

“(...) Um cidadão-sol quanto ao orgulho, um bode de luxúria, um faraó de cólera, um rei de preguiça. Não matei ninguém? Ainda não, sem dúvida! Mas não deixei morrer criaturas dignas? Talvez. E esteja pronto a recomeçar. Enquanto aquele, olhem bem para ele, não recomeçará. Ainda está todo cheio de espanto por ter trabalhado tão bem.”
Este discurso perturbou um pouco meus jovens confrades. Ao cabo de um momento, resolveram que era melhor rir. Tranquilizaram-se completamente quando cheguei à minha conclusão, na qual invocava com eloquência a pessoa humana e seus direitos. O hábito, nesse dia, foi mais forte.

“(...) Como vê, não basta acusarmo-nos para sermos declarados inocentes, nesse caso eu seria um cordeiro imaculado. É preciso nos acusarmos de uma certa maneira, que me levou muito tempo para aperfeiçoar e que não descobri antes de me achar no mais completo abandono. Até então, o riso continuou a flutuar à minha volta, sem que meus esforços desordenados conseguissem tirar-lhe o que ele tinha de benevolente, de quase terno, e que me fazia mal.
Mas parece que a maré está subindo. O nosso barco não vai demorar a partir, o dia chega ao fim. Olhe, as pombas se juntam lá em cima. Elas se chegam umas de encontro às outras, mal se mexem, e a luz declina.” (p. 72)

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

O mínimo salario


"O que é mau na moral, mau é também na política. "
(Jean-Jacques Rousseau)

Política! Não é um assunto frequente nestas reminiscências. Ainda bem. Porém, desta vez não consegui resistir. O texto a seguir foi retirado da página na internet Globo.com: “...a Câmara dos Deputados aprovou integralmente, na madrugada desta quinta (17), o projeto de valorização do mínimo apresentado pelo governo. Com isso, o salário mínimo, atualmente em R$ 540, passa a R$ 545”.
Sim amigos, vou soletrar para não deixar dúvidas; i-n-t-e-g-r-a-m-e-n-t-e! Desculpem ser repetitivo. A Câmara dos Deputados aprovou integramente a proposta de valorização do mínimo. Espetacular! O mínimo foi valorizado. Sem fazer muitas contas em menos de 1%? É isso? O mínimo valorizado e o governo desmoralizado.
O vídeo abaixo do programa CQC mostra como e por quem é feita a política neste país...

video

domingo, 20 de fevereiro de 2011

Bad - U2


"Se eu pudesse, eu me jogaria e libertaria esse espírito
E guiaria seu coração perdido...Ver você passar, ir embora
Para dentro da luz... E pela chuva, na meia luz
E pela chama..."
(da Música Bad – U2)
Estou reconstruindo as minhas muralhas.
Pedra por pedra.
Não construo sozinho.
São colocadas do lado de fora.
Pedra por pedra.
A cada dia.

Ficarei então, aqui.
Protegido. Seguro. Em silêncio.
Pedra por pedra.
A muralha vai se fechando.
Até... Se fechar para sempre...

video

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Sobre a vida e o viver...


"O que for teu desejo, assim será tua vontade.
O que for tua vontade, assim serão teus atos. O que forem teus atos,
assim será teu destino."
( Deepak Chopra )


Elizabeth Kubler-Ross, psiquiatra premiada. Autora do livro On Death and Dying (Sobre a morte e o morrer). No livro ela inicialmente apresenta o modelo Kubler-Ross. A psiquiatra propõe uma descrição de cinco estágios pelo qual as pessoas passam ao lidar com a perda, o luto e a tragédia. Não quero falar sobre a morte e o morrer. Ao contrário; quero falar sobre a vida e o viver. Não citei Kubler-Ross para falar da morte. Quem entende da morte, deve entender também da vida. Escreveu a autora: "Precisamos ensinar à próxima geração de crianças, a partir do primeiro dia, que eles são responsáveis por suas vidas. A maior dádiva da espécie humana, e também sua maior desgraça, é que nós temos livre arbítrio. Podemos fazer nossas escolhas baseadas no amor ou no medo”.
Sempre acreditei nisso. A maior parte da minha vida. Também já duvidei. Hoje, aprendi ser apenas meia verdade. Às vezes, a vida não nos dá nenhuma escolha. Não importa se estamos preparados. Aceitemos ou não, a vida nos impõe sua vontade. Podem dar o nome que quiserem. Questão de crença ou fé. Não importa. A discussão não é de semântica e muito menos teológica. O fato é: quando a vida quer, somos impotentes.
Felizmente, na maioria das vezes, a frase de Kubler-Ross é uma verdade incontestável. Somos responsáveis por nossas vidas. Fazemos nossas escolhas. A vida nos dá esta possibilidade. Neale Donald Walsch é o autor norte-americano da série de livros Conversando com Deus. Walsch escreveu que "Toda decisão que você toma - toda decisão - não é uma decisão sobre o que você faz. É uma decisão sobre quem você é. Quando você vê isso, quando você entende isso, tudo muda. Você descobre e começa a ver a vida de um modo novo. Todos os eventos, ocorrências e situações se transformam em oportunidades para fazer o que você veio fazer aqui".
A outra meia verdade da vida nos dá o livre arbítrio. São nossas as escolhas. Baseadas no amor ou no medo. Baseadas em quem realmente somos. São decisões sobre a vida e o viver. Reticências.

sábado, 12 de fevereiro de 2011

O tempero das quintas


"Os prazeres mais puros que tenho obtido estão ao alcance de todos:
o calmo convívio por meio dos livros, ao canto do fogão, com seres
inteligentes
e a comunhão com os grandes já falecidos."
( Ricardo Cobden )


É verdade. O vinho nas quintas andou meio esquecido por aqui. Garanto; apenas por aqui. Já dizia Cícero que “O melhor tempero para a comida é a fome”, posso até concordar. Porém, nas noites de quinta não é a fome quem tempera os pratos. Ultimamente, recebemos as visitas de alguns amigos. Sabemos que retornarão assim que os devidos alvarás forem assinados. Enquanto isso, deliciem-se com os pratos e vinhos degustados nos últimos dois encontros.


1-Prato com Queijo Rambol com damasco, Ramon, Canapés de Cream Cheese com geléia de framboesa e cerejas.
2- Filé mignon grelhado com tira de bacon, penne ao pesto, aspargos e tomate cereja com mozzarela de búfala

VINHOS:

1- Pulenta La Flor 2008
100% Cabernet Sauvignon 13,5%
Luján de Cuyo, Mendoza
Estilo: Tinto Leve
Produtor: Pulenta Estate
Temperatura: 16 °
Envelhecimento: 6 meses em barricas de carvalho francês.

Vermelho profundo, seus aromas lembram pimentão e especiarias, com notas de baunilha e tabaco provenientes do carvalho. Na boca apresenta boa concentração e taninos suaves que lhe conferem uma estrutura volumosa. Seu final elegante e longo fazem dele um grande vinho. (Fonte: Grand Cru)

2- Luigi Bosca Reserva Malbec 2007
Região: Luján de Cuyo (Mendoza) - Argentina
Produtor: Bodega Luigi Bosca
Importador: Decanter
Teor alcoólico: 14,3%
Casta(s): Malbec


1- Picanha grelhada ao molho pesto com penne ao molho branco

VINHOS

1- Winemaker´s Lot Riesling 2007
País Chile
Região Vale de Casablanca
Produtor Concha y Toro
Composição Varietal (apenas 1 uva)
Uva Riesling
Safra 2007
Graduação Alcoólica (%) 13%
Temperatura de Serviço (°C) 8 á 10
Tamanho da Garrafa Garrafa
Volume 750ML

Coloração amarelo palha com reflexos esverdeados , aromas de flores e frutas brancas, no paladar é um vinho com boa acidez , leve e com ótimo frescor.

2 - Vernus Blend 2006
Vale Colchagua, Chile
Produror: Santa Helena
Castas: Cabernet Sauvignon, Carmenére e Merlot

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Amateur - Lasse Gjertsenl


A criatividade não possui limites. E dizem que a música não tem fronteiras. O que é preciso para fazer música? Quem me conhece sabe que adoro edição de vídeo. Lasse Gjertsen nomeou seu vídeo de “Amateur”. Ele tocou separadamente cada bumbo e cada tecla do piano e através de uma edição de vídeo impressionante montou uma música inteira. Para dar inveja...

video

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Parte 20 – Vigésimo contato


AMIGO, SEIS MIL PALAVRAS. JÁ TEM MUITO PARA PENSAR. APROVEITE CADA UMA DELAS.

A vida já começou! Descubra seu mundo. Viva sua vida. Lembre-se que é humano. Ah! O ser humano! Ele é mesmo complicado. Sempre. Quando não tem certeza supõe. Ao supor, complica. Erra. Tira conclusões. Toma atitudes e decisões baseadas em conclusões falsas. É; muito complicado.
Tomar decisões não é assim; simples. Deveria ser. Nunca é. Há sempre algo a mais. Há sempre o medo. Ele está presente mesmo sabendo o caminho correto. Falta a coragem. Coragem é para quem não tem medo. Quem não tem medo não é humano. Corajoso é quem conhece seus próprios medos e aprendeu com eles. Para quem procura sempre realizar seus sonhos; apesar de tudo. Ter coragem é agarrar as oportunidades que a vida oferece. Para o corajoso o impossível é apenas um desafio. É simples? Claro que é. É fácil? Não. Nem um pouco.
Quando recebeu a primeira carta, estava ainda em 1986. Agora, o ano de 1988 está começando. Confesso; a ideia de escrever-lhe tinha como principal objetivo o ano de 1988. Este será o ano mais importante de sua vida. Pelo menos nos próximos vinte anos. Depois disso... Bem, tudo há seu tempo!
Este será definitivamente um ano de mudanças. De escolhas. Um ano que exigirá de você atitudes. Este é o ano que a vida escolheu para apresentar-lhe o mundo. Não há apenas uma direção. Deverá escolher seu caminho. Não há como fugir. Fugir também é uma escolha. A pior delas. Não para você. Nunca agiu desta maneira. Ainda bem.
Não se engane. Não estou aqui para mostrar-lhe qual caminho seguir. Esta decisão será sua. Também não vou dizer que as decisões escolhidas por você foram certas ou erradas. Deverá vivê-las para descobrir. Já lhe falei sobre isso.
Como este é um ano de mudanças, a primeira delas foi a escola. Tudo acontecerá muito rápido.

APROVEITE ESTE PRESENTE. APROVEITE A VIDA! UM GRANDE ABRAÇO.

sábado, 5 de fevereiro de 2011

É proibido... Pablo Neruda


“Hoje é um daqueles dias sem saída,
em que tentamos escalar as paredes mesmo conscientes de sua altura.
Nessas situações, dona Julieta não me estenderia uma escada, tenho certeza, mas me ensinaria a construir uma com o que eu tivesse à mão”.
(Kandy em Ideias na janela)


Computadores! Estive ausente esta semana. Problemas técnicos é o nome que inventaram para dizer que a culpa não foi nossa. Foi técnica. Enfim! Já entenderam.
O Reminiscências está de cara nova. Devem ter percebido. Como sempre, e não poderia ser diferente, interpretem; como quiserem...
Um dia destes encontrei, navegando pela internet, um blog chamado Ideias na Janela. Adorei os textos e a maneira da autora, Kandy, escrever. Fica a dica para quem gosta de uma boa leitura.
Recebi de uma querida amiga este texto do Pablo Neruda. Quando penso nele, impossível não lembrar o filme O carteiro e o poeta. E, se chegou até aqui, é proibido deixar de ler...

É proibido chorar sem aprender,
Levantar-se um dia sem saber o que fazer
Ter medo de suas lembranças.

É proibido não rir dos problemas
Não lutar pelo que se quer,
Abandonar tudo por medo,

Não transformar sonhos em realidade.
É proibido não demonstrar amor
Fazer com que alguém pague por tuas dúvidas e mau-humor.
É proibido deixar os amigos

Não tentar compreender o que viveram juntos
Chamá-los somente quando necessita deles.
É proibido não ser você mesmo diante das pessoas,
Fingir que elas não te importam,

Ser gentil só para que se lembrem de você,
Esquecer aqueles que gostam de você.
É proibido não fazer as coisas por si mesmo,
Não crer em Deus e fazer seu destino,

Ter medo da vida e de seus compromissos,
Não viver cada dia como se fosse um último suspiro.
É proibido sentir saudades de alguém sem se alegrar,

Esquecer seus olhos, seu sorriso, só porque seus caminhos se
desencontraram,
Esquecer seu passado e pagá-lo com seu presente.
É proibido não tentar compreender as pessoas,
Pensar que as vidas deles valem mais que a sua,

Não saber que cada um tem seu caminho e sua sorte.
É proibido não criar sua história,
Deixar de dar graças a Deus por sua vida,

Não ter um momento para quem necessita de você,
Não compreender que o que a vida te dá, também te tira.
É proibido não buscar a felicidade,

Não viver sua vida com uma atitude positiva,
Não pensar que podemos ser melhores,
Não sentir que sem você este mundo não seria igual.

(Pablo Neruda)