quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Regras?

"Criatividade é inventar, experimentar,
crescer, correr riscos, quebrar regras, cometer erros, e se divertir."
(Mary Lou Cook)

Encontrei este vídeo... Alguém pode explicar as regras?

video

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Contramedidas...



"A arrogância do coração é atributo dos homens de bem;
a arrogância de modos é atributo dos imbecis."
(Charles Pinot Duclos)

Não tenho certeza quanto à veracidade desta pequena história. Na verdade, duvido muito que tenha realmente acontecido. De qualquer maneira, serve para entendermos que muitas vezes nos tornamos cegos em nossa arrogância. Criticamos e exigimos mudanças no comportamento das pessoas ao nosso lado. Na verdade, nós é que deveríamos mudar o nosso rumo...

O diálogo abaixo é verídico, e foi travado em outubro de 1995 entre um navio da Marinha Norte Americana e as autoridades costeiras do Canadá, próximo ao litoral de Newfoundland.

Os americanos avistaram uma luz em rota de colisão com eles:
- Favor alterar seu curso 15 graus para norte para evitar colisão com nossa embarcação.
Os canadenses responderam de pronto:
- Recomendo mudar o SEU curso 15 graus para sul.
O americano ficou mordido:
- Aqui é o capitão de um navio da Marinha Americana. Repito, mude o SEU curso.
Mas o canadense insistiu:
- Não. Mude o SEU curso atual.

O negócio começou a ficar feio. O capitão americano com raiva berrou ao microfone:

- Fique sabendo, este é o Porta Aviões USS Lincoln, o segundo maior navio da frota americana no Atlântico. Estamos acompanhados de três destroyers, três fragatas, submarinos e navios de apoios. Eu exijo que vocês mudem seu curso 15 graus para norte, ou então tomaremos contramedidas para garantir a segurança do navio.
E o canadense calmamente respondeu:

- Aqui é um FAROL, estamos num rochedo, desvie... Câmbio!

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

O Brasil explicado em galinhas


Texto de Luís Vernando Veríssimo

"Pegaram o cara em flagrante roubando galinhas de um galinheiro e levaram para a delegacia."

- Que vida mansa, heim, vagabundo ? Roubando galinha para ter o que comer sem precisar trabalhar. Vai para cadeia!
- Não era para mim não. Era para vender.
- Pior. Venda de artigo roubado. Concorrência desleal com o comércio estabelecido. Sem-vergonha!
- Mas eu vendia mais caro.
- Mais caro?
- Espalhei o boato que as galinhas do galinheiro eram bichadas e as minhas não. E que as do galinheiro botavam ovos brancos enquanto as minhas botavam ovos marrons.
- Mas eram as mesmas galinhas, safado.
- Os ovos das minhas eu pintava.
- Que grande pilantra...
Mas já havia um certo respeito no tom do delegado.
- Ainda bem que tu vai preso. Se o dono do galinheiro te pega...
- Já me pegou. Fiz um acerto com ele. Me comprometi a não espalhar mais boato sobre as galinhas dele, e ele se comprometeu a aumentar os preços dos produtos dele para ficarem iguais aos meus. Convidamos outros donos de galinheiro a entrar no nosso esquema. Formamos um oligopólio. Ou, no caso, um ovigopólio.
- E o que você faz com o lucro do seu negócio?
- Especulo com dólar. Invisto alguma coisa no tráfico de drogas. Comprei alguns deputados. Dois ou três ministros. Consegui exclusividade no suprimento de galinhas e ovos para programas de alimentação do governo e superfaturo os preços.
O delegado mandou pedir um cafezinho para o preso e perguntou se a cadeira estava confortável, se ele não queria uma almofada. Depois perguntou:
- Doutor, não me leve a mal, mas com tudo isso, o senhor não está milionário?
- Trilionário. Sem contar o que eu sonego de Imposto de Renda e o que tenho depositado ilegalmente no exterior.
- E, com tudo isso, o senhor continua roubando galinhas?
- Às vezes. Sabe como é.
- Não sei não, excelência. Me explique.
- É que, em todas essas minhas atividades, eu sinto falta de uma coisa. Do risco, entende? Daquela sensação de perigo, de estar fazendo uma coisa proibida, da iminência do castigo. Só roubando galinhas eu me sinto realmente um ladrão, e isso é excitante. Como agora. Fui preso,
finalmente. Vou para a cadeia. É uma experiência nova.
- O que e isso, excelência? O senhor não vai ser preso não.
- Mas fui pego em flagrante pulando a cerca do galinheiro!
- Sim. Mas primário, e com esses antecedentes...

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

French Contry Waterways


Holy Hugues viajou o mundo todo como uma redatora e escritora. “Entre os 500 lugares sobre os quais escrevi nestas páginas você encontrará vários que farão a sua próxima viagem inesquecível - e talvez alguns que vão iluminar os sabe-tudo.”

Aqui está uma maneira de quebrar a rotina – viajando em uma barca, em uma rede intrincada de canais que se enroscam pela região no coração da França. Borgonha, Champagne e da Alsácia. Você pode cruzá-las com luxo a bordo de barcas-hotel da French Contry Waterways. As barcas vão de seis passageiros até um navio de dezoito passageiros, todos com acomodações suntuosas em estilo provençal francês. É uma experiência íntima a bordo, como ficar em um B & B exclusivo. Sem telefones, TVs, ou conexões de internet, assim é mais provável que você conheça melhor os seus companheiros de viagem no decorrer de sua semana.
Estes cruzeiros de seis noites cobrem cinco roteiros diferentes: um na Champagne, outro na Alsácia, e três partes diferentes da procurada Borgonha. Você visitará vinícolas e cidades históricas, assim como os maiores castelos, abadias e catedrais locais. Em cada cruzeiro uma noite é reservada para um jantar em um restaurante à beira do rio com estrela no guia Michelin. As refeições à bordo também são muito aguardadas, com jantares diários de quatro pratos, servidos à luz de velas. Porque você está navegando em vez de no mar, o chef tem acesso à produção fresca de pães quentinhos da padaria do vilarejo. A cozinha representa a França. Os vinhos são de alta qualidade também. Aqui está uma experiência que você não vai conseguir reproduzir em casa...

domingo, 18 de setembro de 2011

Ando devagar - Almir Sater


Reticências. Três pontos. Do latim: reticere (calar alguma coisa). Indica pensamento ou idéia que ficou por terminar. Omissão de algo que podia ser escrito. Mas não foi. Reticências.
----------------------------

"Penso que cumprir a vida, seja simplesmente compreender a marcha,
ir tocando em frente como um velho boiadeiro, levando a boiada
eu vou tocando os dias pela longa estrada, eu vou..."


video

terça-feira, 13 de setembro de 2011

50 lições por Regina Brett


Regina Brett completou 53 anos. Escreveu as 45 lições de vida quando completou 45 anos e, cinco anos mais tarde, atualizou a versão com mais 5 lições concluindo finalmente as 50 lições.

ESCRITO POR REGINA BRETT:

1.A vida não é justa, mas ainda é boa.
2. Quando estiver em dúvida, apenas dê o próximo pequeno passo.
3 A vida é muito curta para perdermos tempo odiando alguém.
4. Não se leve tão à sério. Ninguém mais leva…
5. Pague suas faturas de cartão de crédito todo mês.
6. Você não tem que vencer todo argumento. Concorde para discordar.
7. Chore com alguém. É mais curador do que chorar sozinho.
8. Está tudo bem em ficar bravo com Deus. Ele aguenta.
9. Poupe para aposentadoria começando com seu primeiro salário.
10. Quando se trata de chocolate, resistência é em vão.
11. Sele a paz com seu passado para que ele não estrague seu presente.
12. Está tudo bem em seus filhos te verem chorar.
13. Não compare sua vida com a dos outros. Você não tem ideia do que se trata a jornada deles..
14. Se um relacionamento tem que ser um segredo, você não deveria estar nele.
15 Tudo pode mudar num piscar de olhos; mas não se preocupe, Deus nunca pisca.
16. A vida é muito curta para longas piedosas festas. Esteja ocupado vivendo ou esteja ocupado morrendo.
17. Você pode fazer tudo se começar hoje.
18. Um escritor escreve. Se você quer ser um escritor, escreva.
19. Nunca é tarde demais para se ter uma infância feliz. Mas a segunda só depende de vocÊ e mais ninguém.
20. Quando se trata de ir atrás do que você ama na vida, não aceite não como resposta.
21. Acenda velas, coloque os lençóis bonitos, use a lingerie elegante. Não guarde para uma ocasião especial. Hoje é especial.
22. Se prepare bastante, depois deixe-se levar pela maré..
23. Seja excêntrico agora, não espere ficar velho para usar roxo.
24. O órgão sexual mais importante é o cérebro.
25. Ninguém é responsável pela sua felicidade além de você.
26. Encare cada “chamado desastre” com essas palavras: Em cinco anos, vai importar?
27. Sempre escolha a vida.
28. Perdoe tudo a todos.
29. O que outras pessoas pensam de você não é da sua conta.
30. O tempo cura quase tudo. Dê tempo.
31. Indepedentemente se a situação é boa ou ruim, irá mudar.
32. Seu trabalho não vai cuidar de você quando você adoecer. Seus amigos e seus pais vão. Mantenha contato
33. Acredite em milagres
34. Deus te ama por causa de quem Deus é, não pelo o que você fez ou deixou de fazer.
35.O que não te mata, realmente te torna mais forte.
36. Envelhecer é melhor do que a alternativa: morrer jovem
37. Seus filhos só têm uma infância. Faça com que seja memorável.
38. Leia os Psalms. Eles tratam de todas as emoções humanas
39. Vá para a rua todo dia. Milagres estão esperando em todos os lugares
40. Se todos jogassemos nossos problemas em uma pilha e víssemos os de todo mundo, pegaríamos os nossos de volta.
41. Não faça auditoria de sua vida. Apareça e faça o melhor dela AGORA!
42.Se desfaça de tudo que não é útil, bonito e prazeiroso.
43.Tudo o que realmente importa no final é que você amou.
44. Inveja é perda de tempo. Você já tem tudo o que precisa.
45. O melhor está por vir.
46. Não importa como você se sinta, levante, vista-se e apareça.
47. Respire fundo. Isso acalma a mente.
48. Se você não pedir, você não ganha.
49. Produza.
50. A vida não vem embrulhada em um laço, mas ainda é um presente!!!

terça-feira, 6 de setembro de 2011

O leão e os gatos...


Um leão encontrou um grupo de gatos conversando. "Vou devorá-los", pensou.
Mas começou a sentir-se estranhamente calmo. E resolveu sentar-se com eles, para prestar atenção no que diziam.

- Meu bom Deus - disse um dos gatos, sem notar a presença do leão.

-Oramos a tarde inteira! Pedimos que chovessem ratos do céu!

- E, até agora, nada aconteceu! - disse outro.

- Será que o Senhor não existe?

O céu permaneceu mudo. E os gatos perderam a fé...

domingo, 4 de setembro de 2011

Chega setembro


Chega setembro. Oito dias. Nove dias. Passam-se os dias. Passou. Ficou a lembrança que não dispersa. Tarde demais. Uma música. Será que é tudo isso em vão? Será que vamos conseguir vencer? Mas não, não vá agora. Quero honras e promessas. Às vezes parecia, que de tanto acreditar em tudo que achávamos tão certo... Várias músicas. Impotência. Escolhas. Uma vida. Tudo mudou. As palavras ficaram perdidas. Em tempo algum. Dia de chuva, dia de sol. A vida segue. Tempo... Não existe tempo certo. Só entendemos quando já não é mais possível. Chega setembro. Tarde demais.
Esperar o final é perder a melhor parte. A única que importa. Lembrei-me de um trecho do filme Amnésia: "O mundo não desaparece quando fecho os meus olhos. Preciso acreditar num mundo fora da minha mente. E que minhas ações ainda tenham um significado, mesmo que eu não me lembre delas. Preciso acreditar que, ao fechar os olhos, o mundo continua aqui. Acredito que o mundo continua aqui? Continua a existir? Sim! Todos nós precisamos de espelhos para nos lembrar de quem somos. Não sou diferente”.

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Prioridades


Entrelinha poderia ser definida como o espaço entre duas linhas. Simples. Mas nada é simples. O sentido implícito. O que não foi escrito ou falado. Então, interpretamos. E, tratando-se de interpretação, cada um tem a sua. Assim, encontre-se na entrelinhas...
-------------------------

Durante uma furiosa tempestade, um navio foi arrastado para longe de sua rota, vindo a naufragar posteriormente próximo a uma ilha desabitada. Os tripulantes conseguiram escapar a nado para a ilha e salvar algumas coisas que estavam no navio, como um pouco de alimento, ferramentas e sementes.

O solo da ilha era fértil e o clima ameno. Não sabendo quanto tempo levaria para lhes vir socorro, os homens resolveram plantar as suas sementes imediatamente, sem perda de tempo. Antes disso, porém, um grupo de pessoas que tinha penetrado no interior da ilha para ver os recursos que havia, avisou que haviam encontrado ricas jazidas de ouro. Imediatamente se esqueceram de tudo o mais, mesmo da semeadura, e todos correram a cavar a terra em busca de ouro.

Como se alegraram quando avistaram o monte de ouro bruto! Estariam ricos quando o navio de socorro viesse buscá-los. Mas passou o Verão e a horta ficou por ser feita. Demasiado tarde viram que haviam negligenciado a coisa mais necessária: sua provisão de alimento.

Febrilmente puseram-se a lançar as sementes, mas chegou o inverno. O suprimento que tinham trazido do navio naufragado acabou-se e na ilha não se encontrava alimento bastante para todos. Quando se tornaram muito fracos, quase sem nenhuma força, seus olhos pousaram naquele monte de ouro e uma pergunta se instalou em suas mentes. De que lhes adiantava todo aquele ouro, agora que estavam à beira da morte? Todo aquele ouro de nada lhes servia.

Cirilo Veloso Moraes (Retirado do blog As simples coisas da vida)