domingo, 30 de setembro de 2012

Trigésimo terceiro contato



COMO VAI AMIGO? MAIS TREZENTAS PALAVRAS...

Vou revelar-lhe algo sobre o futuro... Temos algumas facilidades por aqui. Outro dia revi o filme “Trocando as bolas”. Eu sei. Você adora. A questão é: depois de um tempo, mesmo em uma comédia como esta, podemos encontrar algo para acrescentarmos em nossas vidas. “Seja você mesmo e ninguém vai poder tirar isso de você...”. A frase está no filme. É da personagem de Jamie Lee Curtis. Verdade; você é exatamente assim. Sempre foi. Esse é o problema. Não sei se a frase é para você. Talvez seja eu quem realmente precise ouvi-la. “Seja você mesmo e ninguém vai poder tirar isso de você...”. Sei o que deve estar pensando. O que você tem haver com isso? É um problema meu. Verdade. Mas precisa concordar: de uma maneira ou de outra; é seu também.
O paradoxal é que as facilidades de hoje são exatamente as dificuldades de ontem. Uma pesquisa é um bom exemplo. Quer saber algo a respeito do futuro? Pesquisar, atualmente, é muito mais simples. Como sei que desafios atraem você particularmente, não vou preocupar-me. Quero que faça uma pesquisa. Duas na verdade. Para você será um pouco mais complicado.
“Colha tuas rosas enquanto podes...” É um trecho de um poema de Robert Herrick. Encontre-o. Reflita. A segunda está em latim, falei que não seria fácil. Poderá encontrar em Odes" (I, 11.8) do poeta romano Horácio: “Tu ne quaesieris, scire nefas, quem mihi, quem tibi finem di dederint, Leuconoe, nec Babylonios temptaris numeros. ut melius, quidquid erit, pati. seu pluris hiemes seu tribuit Iuppiter ultimam, quae nunc oppositis debilitat pumicibus mare Tyrrhenum: sapias, vina liques et spatio brevi spem longam reseces. dum loquimur, fugerit invidaaetas: carpe diem quam minimum credula póstero” Ao concluí-la, reflita a respeito do seu significado. É a mensagem que desejo passar a você. E ficará sempre a dúvida: como foi...

UM GRANDE ABRAÇO.

terça-feira, 25 de setembro de 2012


A vida é sempre surpreendente. Todos nós temos um lado obscuro. Do avesso. Aceitemos ou não. Nossa antítese. Amigos leitores, não se assustem. Apresento "A antítese" destas reminiscências. Nem tanto nas ideias, mas, principalemente na forma. Na maneira de escrever. um pouco. Prometo. Só um pouco do meu lado obscuro...
-------------------------------------------
"O sábio teme o céu sereno; em compensação, 
quando vem a tempestade ele caminha sobre as ondas e desafia o vento". 
( Confúcio)

Tempestade! Do latim tempestate. Tormenta, agitação. Parece que dentro da tempestade coexistem movimentos verticais ascendentes e descendentes intensos, o que gera muita turbulência. Que Inferno! Não sei o que me deixa mais preocupado: a turbulência ou os movimentos ascendentes e descendentes. E claro; intensos!
Ficar preocupado talvez já seja um indicador de tempestade. Como nuvens negras, raios e trovões. O certo é que quando ela chega só nos resta esperarmos ela passar...

sexta-feira, 21 de setembro de 2012

Perfeito para o dia de hoje!


Vou ler e reler; 
até descobrir se quero um cérebro ou um coração...


segunda-feira, 17 de setembro de 2012

Mais ou menos - Teatro Mágico



Afinidade acontece. Um mesmo signo, um mesmo par de sapatos caramelo, um mesmo livro de cabeceira.
Afinidade acontece entre seres humanos. A mesma frase dita ao mesmo tempo, o diálogo mudo dos olhares e a certeza das semelhanças entre o que se canta e o que se escreve.
Afinação acontece. Um mesmo acorde, um mesmo som, uma mesma harmonia.
Afinação acontece entre instrumentos musicais. A mesma nota repetidas vezes, a busca pela perfeição sonora e a certeza das similaridades entre um tom acima e um tom abaixo.
A incrível mágica acontece quando os instrumentos musicais descobrem afinidades humanas entre si no mesmo instante em que os seres humanos descobrem afinações musicais dentro deles mesmos”. (Teatro Mágico)



terça-feira, 11 de setembro de 2012


"Senhor, livrai-me de tudo que me trava o riso".

"Tomara que a gente não desista de ser quem é por nada nem ninguém deste mundo. Que a gente reconheça o poder do outro sem esquecer do nosso. Que as mentiras alheias não confundam as nossas verdades,, mesmo que as mentiras e as verdades sejam "impermanentes". Que friagem nenhuma seja capaz de encabular nosso calor mais bonito. Que, mesmo quando estivermos doendo, não percamos de vista nem de sonho a ideia da alegria. Tomara que apesar dos pesares todos, agente continue tendo valentia suficiente para não abrir mão de ser feliz.!"

(Caio F. Abreu)

domingo, 9 de setembro de 2012

Newsroom - HBO


“Ouça-me agora, sombrio e insuportável mundo. Tu és muito debochado, mas um cavaleiro com suas bandeiras bravamente desfraldadas agora lança suas luvas para ti” (Miguel de Cervantes em Don Quixote, citado em Newsroom)


Dizem que os jornalistas estão divididos. Não sei. Não sou jornalista. Se for o seu caso, pode tirar suas conclusões. A minha? Achei Newsroom, a nova série da HBO um dos melhores programas da TV dos últimos anos. Está bem, assisto pouca TV. Não importa. Vejo o suficiente.
Escrita por Aaron Sorkin, roteirista de A Rede Social (Oscar de melhor roteiro adaptado) e The West Wing. “Com dez episódios produzidos para sua primeira temporada, a série acompanha os bastidores de um telejornal de conteúdo político e opinativo” (Veja). The Newsroom conta a história de Will McAvoy (Jeff Daniels), âncora do News Night do canal ACN que depois de um colapso nervoso durante um programa de debate político tem todo o seu programa modificado, incluindo uma nova produtora chefe, Mackenzie MacHale.
O texto é inteligente e dinâmico. Com diálogos longos e rápidos, marca registrada de Sorkin. Após assistir ao Episódio Piloto, minha expectativa era se o nível seria mantido nos episódios seguintes. Gostei ainda mais. Os episódios 4 e 5 são memoráveis. Como escrevi no início, as opiniões são divididas. Segundo algumas críticas, "a redação de Newsroom existiria somente em um mundo de fantasia e todos os personagens se comportam como adolescentes". Pode ser verdade. Ao que me consta, melhor assim...

video





sábado, 1 de setembro de 2012

Dia trinta do oito - Por Marcello Batista




"Trata de saborear a vida; e fica sabendo, que a pior filosofia é a do choramingas que se deita à margem do rio para o fim de lastimar o curso incessante das águas. O ofício delas é não parar nunca; acomoda-te com a lei, e trata de aproveitá-la."

(Machado de Assim em Memórias Póstumas de Brás Cubas)


Recebi este "in box" no facebbok do meu irmão; Marcello Batista. Impagável!
---------------------------

Aniversário do Papai ontem. Entrei no facebook somente hoje. Vi as fotos. Já chorei... Ensaiei escrever uma coisa aqui, outra ali. Não ia postar nada. Daí alguém escreveu algo junto ao texto que você postou. Algo sobre um reencontro no plano espiritual... Eis então que baixa um espirito humorístico em mim (só pode ser ele)...e me faz imaginar a tal cena do encontro:
- Oi filho
- Oi... Quem é você?
- Seu Pai.
- Pai! Mas cadê o barrigão?
- Aqui no céu nós não temos barriga filho.
- Mas como então vou saber se você é você mesmo? Com uns 20 anos te vi sem barba pela primeira vez... Até reconheci. Mas sem a barriga é difícil.... Canta uma música então...
- Não podemos falar alto aqui filho (sussurrando). Quem canta perde a sopa do pernoite...É ruim a sopa, mas fazer o quê? Não tem geladeira aqui...À noite eu fico perdidinho.
- Assim é que não vai dar pra reconhecer... Nem um gritinho de "Roseliiiii fecha a poooorta!" Só pra eu ver se é você mesmo?
- Não posso.
- Nem aquela assobiada famosa?
- Quem assobiar aqui no céu perde direito ao almoço....
- Pô pai. Não dá pra perder uma vez só? Só pra eu ter certeza que é você...Sou seu filho!
- Mas é macarronaaaaada hoje...
- Já vi que é você mesmo... Como tá por aqui? Já colocou apelido em alguém?
- Já, em São Pedro. Chamo ele dê "Menino da Porteira". Ele se escraaaacha de rir. Se ele contar eu tô frito. Outro dia peguei o telefone e fiz um trote lá pra baixo imitando São Pedro. A voz era igualzinha... Encomendei um cara que não tava nem na fila pra subir. Deu o maior bafafá por aqui.
- Ô pai... você sempre aprontando kkkkk... E o Coringão?... Libertadores... Você viu? Dá pra ver daqui de cima?
- Ooorrraaa meu! Não perdi um lance. Tem óculos 3D aqui e temos direito a uma descidinha por ano. Tem gente que desce no natal pra ver a família.....Não tive dúvida, desci e assisti o jogo do Coringão contra o Vasco, no Pacaembú. E acha que eu ia descer sozinho? O Doutor desceu também. Tem companhia melhor? Vou contar um segredo filho, mas não fala pra ninguém se não me expulsam do céu. Lembra-se daquela bola do Diego Souza?
- Lógico que lembro pai. Dá pra esquecer?
- Pois é filho... Fui eu....O Cássio nem encostou.