segunda-feira, 3 de junho de 2013

Trigésimo sexto contato


 
Não se esqueça delas. “Plante seu jardim e decore sua alma, ao invés de esperar que alguém lhe traga flores. E você aprende que realmente pode suportar... que realmente é forte, e que pode ir muito mais longe depois de pensar que não se pode mais. E que realmente a vida tem valor e que você tem valor diante da vida!" Assim, Shakespeare termina O menestrel. É um texto incrível. Deveríamos levá-lo no bolso. Ler cada linha toda manhã. São as conclusões de vida do poeta inglês. Com o passar dos anos, também chegará às mesmas conclusões. É a vida. Nossos aprendizados são experiências acumuladas através de nossas vivências. Acredite; você possui muita força. Não se engane; não quer dizer que as coisas são fáceis. Não são. Não espere facilidade.
            Sabe o que descobri recentemente? Que palavras de nada valem. Pode parecer estranha esta conclusão para alguém que escreve tantas cartas. Afinal, palavras são tudo que tenho lhe oferecido. Mas, o que posso fazer? Perder a oportunidade? Sabe muito bem: não perderíamos uma chance por nada. Nunca. Espero que para você elas não sejam apenas linhas perdidas no tempo. Espero que possam ser transformadoras. Espero... Esperar é ter fé. Já falei isso? Acho que sim. Talvez esteja tornando-me repetitivo. A verdade é: estas cartas não podem ser apenas palavras. A atitude deve ser sua. Sem ela, esta oportunidade não terá sentido. Faça valer à pena.
            Olhe como a vida mudou para você. Muda para todo mundo. Sempre. As pessoas não têm consciência. Quando a vida nos apresenta uma oportunidade, devemos agarrar-nos a ela com toda a nossa força. A vida não perdoa. E caberá a você decidir quando deverá deixar algo para trás. Saber que é o fim. Talvez, o fim seja apenas o começo. Não sei. Ninguém sabe. Paradoxo.

2 comentários:

Andrea Caserta disse...

Meu Deus!!!!! Amei!!! Perfeito para o meu momento!!! Bela reflexão!!!
Bjuuu!!!!

Cássia M Bizzi disse...

É só pensar na "Carta" e ela aparece, e com Belas Palavras!!!
Cássia